quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Metroviários decidem paralisar as atividades nesta quarta após assembleia

19/10/2010 - Correio Braziliense

Após assembleia, realizada na noite desta terça-feira (19/10), na Praça do Relógio, em Taguatinga, os metroviários decidiram pela greve. A categoria vai paralisar as atividades a partir da 0h desta quarta-feira (20/10). O serviço será feito com apenas 30% do quadro efetivo.

A decisão foi unânime entre os 300 dos 1.200 servidores que participaram da assembleia. A categoria havia adiado a greve por duas vezes, após duas reuniões. Segundo a categoria, há a falta de posicionamento da empresa.

A categoria deve permanecer em concentração na Praça do Relógio, em Taguantiga, a partir das 6h desta quarta-feira. Conforme o andamento das negociações com governo e Metrô, novas assembleias para definir o futuro da paralisação devem ser marcadas ao longo do dia.

Reivindicações
Os metroviários pedem a redução da jornada de trabalho de 40 para 30 horas semanais. A categoria também exige a convocação dos cerca de 200 aprovados em concurso público cuja validade expira no dia 25 deste mês.

Resposta
Em nota à imprensa, o Metrô-DF alegou que há avanços no processo de negociação com os metroviários e considera a greve inoportuna e irresponsável.

Confira a nota na íntegra
Considerando os avanços no processo de negociação e o claro compromisso desta Empresa com a missão de sanar divergências nas relações de trabalho, entendemos ser irresponsável e totalmente inoportuna a paralisação das atividades metroviárias, provocada pelo SindMetrô-DF.

Tal atitude representa prejuízo incalculável à população do Distrito Federal e encerra o diálogo entre a Empresa e os metroviários. Com a decisão de dar início à greve, ficam retiradas as propostas efetuadas à categoria, cabendo exclusivamente à Justiça do Trabalho a decisão sobre a legalidade do movimento.

Até o momento, o Sindicato dos Metroviários do DF vinha obtendo, por parte da Direção do Metrô-DF, uma demonstração inequívoca do propósito de manter aberto o diálogo. Tanto é assim que, dentro dos limites orçamentários e legais impostos pelo momento atual, a Companhia propôs à categoria, depois de discutir exaustivamente o assunto:

- Convocação até o próximo dia 25 de todos os aprovados que constam no cadastro reserva para os cargos de Agente de Estação e de Piloto, em que pese já ter convocado três vezes o número de vagas disponíveis no edital;
- Implantação da jornada de 30 horas para os pilotos, em caráter experimental, durante 90 dias, contados a partir de 1º de novembro, sem redução salarial;
- Aguardar a decisão definitiva do Tribunal Superior do Trabalho acerca do processo relativo ao retorno dos metroviários às bilheterias;

Para minimizar os efeitos da greve, haverá reforço de 190 ônibus nas áreas atendidas pelo Metrô-DF a partir desta quarta-feira (20).

Nenhum comentário:

Postar um comentário