sábado, 11 de abril de 2015

Metrô vai construir oito estações na Asa Norte a partir do ano que vem

07/04/2015 - Fato Online

A extensão do metrô para a Asa Norte, já faz tempo, é o sonho de muita gente que mora ou precisa se deslocar para aquela área do Plano Piloto. E o sonho não está tão longe de virar realidade. Hoje (7), a assessoria de comunicação da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) informou ao Fato Online que o edital de licitação para a construção da estação noHospital Regional da Asa Norte (Hran) já está em fase final e deverá lançado em junho deste ano e a assinatura da ordem de serviço para início das obras está previsto para o início do próximo ano. Outras sete devem ser construídas na Asa Norte. 

A primeira estação, em frente ao Hran, deverá custar R$ 70 milhões. A obra deverá ser concluída em 36 meses. A companhia estima em nove mil passageiros por dia a movimentação no novo terminal. A segunda estação será construída na 107 Norte, para atender os alunos da Universidade de Brasília (UnB). 

Para Vanessa Gomes, que mora em Águas Claras e toda semana precisa levar a filha cadeirante ao Hospital Regional da Asa Norte (Hran), se o Metrô tivesse uma estação próxima ao hospital, essa rotina seria menos difícil. "Nós enfrentamos sol e chuva na descida ou subida para a rodoviária", explicou. Além da distância, mãe e filha enfrentam a falta de acessibilidade no trajeto. 

Há mais de três anos vendendo lanches em frente ao Hran, Maria Vieira sai cedo de Ceilândia todos os dias. Além da falta do Metrô, a vendedora reclama do horário de funcionamento. "Deveria começar a funcionar pelo menos umas 5h30. Chego às 7h, mas queria chegar mais cedo. A população de Ceilândia cresceu muito, então, isso não justifica", comparou. 

Flávia Costa é estudante de turismo na UnB e utiliza o Metrô de Taguatinga até a Rodoviária. Para ela a extensão do transporte iria amenizar o corre-corre diário. "Minha mãe me deixa na metade do caminho aí pego e o Metrô e depois pego um ônibus para a UnB. O Metrô precisa de várias outras estações. Até o final da Asa Norte seria o ideal", destacou a jovem. 

O Metrô-DF tem 42,38 Km de extensão, 29 estações, mas 24 em funcionamento, conta com 32 trens e transporta em média 150 mil pessoas por dia. A Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) informa que vai licitar a aquisição de 10 trens ainda este ano. Além disso, vai retomar as obras de estações inacabadas e ampliar a oferta de estações em Ceilândia e Samambaia. Os recursos para os investimentos vão partir do Ministério das Cidades, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). 

Três estações deverão ser concluídas daqui a dois anos na Asa Sul: nas quadras 104, 106 e 110. Mas, o Metrô-DF enfrenta dificuldades quanto à manutenção dos trens, conforme revelou o Fato Online. 

Fonte: Fato Online
Publicada em:: 07/04/2015

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Expansão do Metrô-DF deverá ter início neste ano

31/03/2015 - Jornal de Brasília

A tão aguardada expansão do metrô do Distrito Federal começará a tomar forma neste ano. Está prevista para setembro a assinatura da ordem de serviço que permitirá o início das obras da primeira estação da Asa Norte, nas proximidades do Hospital Regional, o Hran. A expectativa é que o local fique pronto em 2018. Também no segundo semestre, devem começar a ser construídas duas paradas em Ceilândia e duas em Samambaia, a ser entregues no fim de 2017. Essas cinco estações totalizarão nove quilômetros de malha metroviária. 

Em menor prazo, uma média de dois anos, deverão ser concluídas as estações das quadras 104, 106 e 110, todas na Asa Sul. Iniciadas em 1991, essas obras serão retomadas por meio de processos licitatórios, previstos para maio. 

Até o fim de abril, a Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) pretende assinar contrato para a aquisição de dez trens, que devem entrar em circulação em 2017, e para a elaboração dos projetos básicos para a implementação do metrô em toda a Asa Norte e do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) na W3 Norte e Sul. 

A verba para a execução desses serviços será disponibilizada por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo federal, no valor de R$ 1.656.130.000. Também fazem parte desse montante a modernização do sistema nos quesitos operacional e de comunicação, a ampliação da capacidade energética e o aprimoramento da segurança. 

Planejamento e cultura 

Em fevereiro deste ano, foi lançado o edital para contratar a empresa que elaborará o Plano de Desenvolvimento do Transporte Público sobre Trilhos e a Pesquisa de Mobilidade Urbana. O objetivo do Metrô-DF é fazer um planejamento, a médio e a longo prazos, do sistema de transporte público sobre trilhos da capital. A intenção é seguir um modelo de desenvolvimento sustentável, idealizado para um futuro de 20 anos. 

Outra iniciativa em andamento é o projeto Estação Metrô Cultura, que ocorre quinzenalmente na estação Central, na Rodoviária do Plano Piloto, em parceria com a Secretaria de Cultura. A proposta é abrir espaços para artistas locais e, ao mesmo tempo, proporcionar acesso gratuito a manifestações artísticas. A próxima apresentação será em 10 de abril, com o baterista André Togni, das 17h30 às 18h30. Essa ação é uma contrapartida dos artistas beneficiados com os recursos do Fundo de Apoio à Cultura (FAC). 

Tecnologia e sustentabilidade 

Estão sendo instalados equipamentos de rede sem fio nas estações de Águas Claras, Central, Galeria e Guará. Com isso, a partir de 21 de abril, segundo o Metrô-DF, os passageiros dessas paradas poderão ter acesso livre à internet durante as viagens de trem. A intenção é que o serviço seja ampliado para as demais estações ainda em 2015. 

Também neste ano está prevista a transformação da estação da Guariroba, em Ceilândia, em ponto sustentável. O projeto está sendo finalizado e será implantado com recursos de grupos nacionais e internacionais. "É apenas um projeto-piloto e pretendemos expandi-lo", explicou o presidente do Metrô-DF, Marcelo Dourado. A ideia é instalar placas para a captação de energia solar. Essa ideia surgiu em Nova York, onde a tecnologia é empregada desde 2005. 

VLT 

O Metrô-DF pretende implantar a rede integrada do veículo leve sobre trilhos (VLT), amplamente utilizada em todo o mundo. Movido a energia elétrica, esse transporte — uma espécie de bonde moderno —, além de não apresentar ruídos, terá circuito interno de TV e piso no mesmo nível da plataforma. 

A ideia é instalar o sistema em quatro eixos, com início das obras previsto para o segundo semestre de 2016 e término no fim de 2018. O primeiro englobará Núcleo Bandeirante, Riacho Fundo, Taguatinga e Ceilândia — com um trecho específico para o Sol Nascente —; o segundo envolverá a antiga Rodoferroviária e a Esplanada dos Ministérios — com braço para o campus da UnB —; o terceiro passará por Cruzeiro, Sudoeste e Guará; e o último será na W3 Sul e Norte. 

O presidente do Metrô-DF, Marcelo Dourado, solicitou ao Ministério das Cidades — em reunião na última quarta-feira (25) — R$ 60 milhões para a elaboração do projeto básico e funcional da rede.

Fonte: Jornal de Brasília
Publicada em:: 31/03/2015